Açu com nova empresa voltada à indústria de óleo e gás

DomeA GranEnergia e a Prumo Logística formalizam nesta segunda-feira (24) sua parceria voltada para oferecer soluções integradas de serviços para a indústria de óleo e gás. Denominada Dome, a empresa terá suas atividades centralizadas no Porto do Açu, região privilegiada por sua localização e infraestrutura. Com início das operações previsto para novembro, a Dome tem o objetivo de contribuir para o aumento da eficiência, otimizar custos e a garantir a integridade das instalações, visando a sustentabilidade dos projetos e operações da indústria de óleo e gás.

A nova empresa focará inicialmente em prover serviços de gestão de integridade e modernização de embarcações e equipamentos, contemplando, inclusive, a fabricação de spools, estruturas, módulos e skids, além de serviços de apoio logístico, tanto à indústria offshore como às demais empresas instaladas no Porto do Açu.

— GranEnergia e Prumo compartilham os mesmos valores e seus negócios são complementares. A parceria visa oferecer para a indústria serviços integrados com o apoio de uma infraestrutura estado-da-arte. A Dome chega ao mercado para possibilitar o desenvolvimento de um centro de serviços completo, competitivo e inovador, e que trará soluções aos desafios da indústria — afirma Miguel Gradin, presidente da GranEnergia.

Instalada na margem esquerda do Terminal Onshore (Terminal 2) do Porto do Açu, a Dome ocupará inicialmente uma área de 47 mil m², sendo 17 mil m² com estruturas já construídas, como prédios administrativos, oficinas, galpões, entre outros. Essa infraestrutura conta com 460 metros lineares de cais prontos para uso imediato. Além disso, para atender às diferentes necessidades do mercado, a Dome possui ampla capacidade de expansão da área que será originalmente ocupada.

Outro diferencial da Dome é a possibilidade de utilizar estruturas do Porto do Açu para atender aos clientes, como o Terminal Multicargas (Tmult) e o Terminal de Reparo Naval, que está em desenvolvimento e será instalado no quebra-mar do Terminal Onshore do Açu. A utilização destes terminais possibilitará à empresa maior flexibilidade para atender seus futuros clientes, possibilitando oferecer infraestrutura diferenciada, com calado de até 14,5 metros. “A Dome será one-stop-shop e irá oferecer serviços customizados de acordo com as necessidades de cada cliente. Isso significa redução de custos, aumento da eficiência e eliminação de gargalos”, disse José Magela, presidente da Prumo Logística, empresa que desenvolve e opera o Porto do Açu.

Fonte: Assessoria

Açu comemora resultado da parceria com Sebrae e fornecedores locais

empre_açuO Programa de Desenvolvimento de Fornecedores Locais (PDFL), criado pelo Porto do Açu em parceria com o Sebrae, já comemora resultados positivos. Desenvolvido com o objetivo de capacitar empresas locais para que se tornem aptas a fornecer para companhias que atuam no Complexo Portuário, o programa já conseguiu aumentar o índice de empresas contratadas.

Um dos exemplos é a campista Engeatec, que instalou recentemente dez portões de segurança no Terminal de Combustíveis Marítimos do Açu (TECMA). Os equipamentos seriam inicialmente fornecidos por uma empresa americana, e possuíam material de fácil instalação e baixo custo de manutenção. No entanto, além do pagamento dos portões, o Terminal também teria os custos com o câmbio e os impostos de importação, que elevariam o valor final do produto. Por isso, o Comitê de Suprimentos do Porto do Açu decidiu realizar uma concorrência com empresas locais. A Engeatec foi a que atendeu aos critérios técnicos e comerciais, oferecendo equipamentos com a mesma qualidade.

— Nós acreditamos no potencial da empresa local, fornecemos o projeto e apoiamos o desenvolvimento das peças. O que nós queremos é ter, cada vez mais, exemplos como este dentro do Porto. O melhor fornecedor é, sem dúvida, o local, quando se tem compromisso com qualidade, prazo e bom preço. Por isso, sempre buscamos atrair parceiros que atendam às demandas das empresas instaladas no empreendimento — afirmou João Kapiska, gerente de Suprimentos do Porto do Açu.

Para o coordenador regional do Sebrae/RJ no Norte Fluminense, Gilberto Soares, é gratificante ver que a parceria estabelecida com o Porto do Açu está dando resultado. “Quando iniciamos o projeto, sabíamos que as empresas da região tinham potencial para atender as demandas do complexo portuário. O trabalho de capacitação desenvolvido pelo Sebrae junto às empresas foi a base para que elas pudessem se adequar às normas e entrar para a lista de fornecedores. Ficamos felizes em ver que o projeto já está trazendo frutos para as empresas locais, e consequentemente, contribuindo para o desenvolvimento da região”, afirmou Soares.

Fonte: Assessoria

Porto do Açu terá mais cinco Lojas In Company

Loja_AçuO projeto Lojas in Company, lançado em julho pelo Comitê de Suprimentos do Porto do Açu, vai ganhar reforços a partir do próximo ano. A previsão é que, no início de 2017, cinco novas lojas sejam inauguradas dentro do complexo portuário. Instaladas em contêineres, elas vão comercializar ferramentas e abrasivos, material de construção (hidráulico e elétrico) e equipamentos de apoio offshore (cintas, manilhas, cabos e boias). Além destes comércios, também serão implantados um laboratório para aferição de equipamentos e um escritório de agente de cargas.

“Estamos muito satisfeitos com o projeto Lojas In Company. Sem dúvida, atrair os fornecedores para dentro do complexo portuário só traz mais agilidade e eficiência no atendimento aos nossos clientes. A loja de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que foi a primeira a ser instalada, já vem comprovando essa ideia. Por isso, nosso objetivo é expandir ainda mais este projeto”, disse João Kapiska, gerente de Suprimentos do Porto do Açu.

As Lojas in Company são instaladas em contêineres com 12 metros de comprimento por 3 metros de largura, e atendem exclusivamente às demandas imediatas das empresas e clientes do empreendimento. O responsável pela loja de EPIs, inaugurada em julho, está satisfeito com o resultado. “Fornecer dentro do Porto é uma oportunidade ímpar. Contamos com toda a infraestrutura oferecida pelo empreendimento e com uma gama de clientes em um mesmo espaço. Outra vantagem é a facilidade logística e o fato de conseguirmos atender as necessidades exclusivas de cada cliente. O resultado tem sido muito gratificante”, afirmou Rodrigo Parud, gerente geral da Solução EPI Ltda.

A definição do tipo de produto ou serviço que é fornecido pelas lojas é realizada pelo Comitê de Suprimentos do Porto do Açu, formado por representantes de todas as empresas que atuam no empreendimento. Nos encontros, que são realizados mensalmente, as empresas indicam suas demandas e dificuldades de contratação. A partir disso, são definidos os produtos e serviços, e é realizada uma concorrência entre as empresas cadastradas no banco de fornecedores para definir qual irá atuar na Loja in Company.

 Como participar

Para participar da concorrência que selecionará as próximas lojas, é necessário que a empresa esteja cadastrada no banco de fornecedores do Porto do Açu. Para efetuar o cadastro, basta enviar um e-mail para cadastro.fornecedores@prumologistica.com.br. A concorrência será iniciada no final do mês de outubro e serão convidadas para participar somente as empresas que já estiverem cadastradas.

Porto do Açu é apresentado a empresários japoneses

Jap1_O Porto do Açu é um dos empreendimentos que foi apresentado ao governo e empresários japoneses durante a 19ª Reunião Conjunta do Comitê de Cooperação Econômica Brasil-Japão, que aconteceu nos dias 4 e 5 de outubro, no Japão. No evento, José Magela Bernardes, presidente da Prumo Logística, empresa que desenvolve e opera o Porto do Açu, apresentou as principais características e diferenciais do empreendimento, além de mostrar as oportunidades de investimento para empresas japonesas.

“O Porto do Açu reúne todas as condições para receber investimentos de empresas japonesas. Temos área disponível, contamos com um Terminal Multicargas que pode receber grandes embarcações e possuímos localização estratégica para a indústria de O&G. O Japão é um dos principais parceiros estratégicos do Brasil, e tenho certeza que o Porto do Açu pode oferecer uma série de oportunidades de investimentos para empresas japonesas”, disse Magela.

Além disso, a criação de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no Porto do Açu irá possibilitar uma nova alternativa para empresas japonesas escoarem seus produtos para as Américas. Prevista para o início de 2017, a ZPE será uma área de livre comércio, destinada à instalação de empresas com 80% de sua produção voltada para a exportação. Na última semana, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, visitou o Porto do Açu junto com representantes do Conselho das Zonas de Processamento de Exportação (CZPE), que é o responsável por recomendar ao Presidente da República a criação de ZPEs no país.

jap_Outro ponto destacado no evento foi que o Porto do Açu pode otimizar a logística das empresas mineiras, tanto para escoar a sua produção quanto para importação de insumos e recursos. Isso possibilita que as empresas japonesas instaladas no estado, tenham um porto dedicado para exportação. O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Olavo Machado Júnior, também participou do encontro no Japão e reforçou a importância do Porto do Açu para o estado. “O Açu é o porto de Minas Gerais”, disse.

A 19º reunião foi organizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Nippon Keidanren, a maior entidade empresarial japonesa. A participação brasileira, que foi liderada pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, contou com cerca de 50 empresários.

Para Robson Braga de Andrade, presidente da CNI, “o Japão nos oferece oportunidades para ampliamos nossas exportações, acessarmos tecnologia e atrairmos capital para investimentos em infraestrutura”. Somente a agência japonesa JOIN (Japan Overseas Infrastructure Investment Corporation for Transport & Urban Development), possui orçamento de mais de US$ 80 bilhões para investimentos em infraestrutura em outros países.

O diretor comercial do Prumo, Fernando Schuffner, também participou do encontro.

Fonte: Assessoria

Porto do Açu conclui primeira operação com carga de projeto

Porto_O Terminal Multicargas (Tmult) do Porto do Açu concluiu, nesta quinta-feira (6), sua primeira operação com carga de projeto. No total, 2.663 toneladas de equipamentos da plataforma de perfuração Roger Eason, da empresa americana Paragon Offshore, foram movimentadas no terminal. O navio MV Thorco Galaxy foi carregado com Risers, Thrusters e flutuadores, entre outras peças, e tem como destino a cidade de Houston, no Texas (EUA).  

No mês passado, o Porto também realizou sua primeira operação com coque (aqui). O navio MV Orient Orchid, que saiu da cidade de Port Arthur, no Texas (EUA), descarregou 48.205 toneladas do granel no T-MULT. A descarga do coque foi realizada em regime de 24 horas e todo o material está estocado no pátio de granéis do terminal, até que seja levado para fábricas de cimento instaladas na região Sudeste do país. A carga será movimentada por carretas, com previsão de expedição média de mil toneladas por dia.

Fonte: Assessoria

Porto do Açu realiza primeira operação com coque

Coque_Açu

O navio MV Orient Orchid, que saiu da cidade de Port Arthur, no Texas (EUA), descarregou 48.205 toneladas do granel no Tmult

O Porto do Açu concluiu, em setembro, a primeira operação com coque no Terminal Multicargas (Tmult). O navio MV Orient Orchid, que saiu da cidade de Port Arthur, no Texas (EUA), descarregou 48.205 toneladas do granel no Tmult. A descarga do coque foi realizada em regime de 24 horas e todo o material está estocado no pátio de granéis do terminal, até que seja levado para fábricas de cimento instaladas na região Sudeste do país. A carga será movimentada por carretas, com previsão de expedição média de mil toneladas por dia.

Com 14,5 metros de profundidade e dois berços instalados em 500 metros de cais, o Tmult tem capacidade para movimentação de quatro milhões de toneladas por ano (entre granéis sólidos e carga geral). O terminal tem aproximadamente 200 mil m² de área alfandegada e dois guindastes MHCs com capacidade de içamento de 100 toneladas e alcance de lança de 46 metros. O terminal já movimenta bauxita, coque e cargas de projeto.

Ministro com visita ao Porto do Açu agendada para quinta

marcos-pereira-prb-foto-douglas-gomesO Porto do Açu recebe, nesta quinta-feira (29) a visita do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, e de um grupo de deputados que integram a Comissão de Viação e Transportes da Câmara Federal. O objetivo é conhecer o porto e as características que o tornam apto a sediar uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE).

A previsão é que a ZPE, que será a segunda do estado do Rio de Janeiro, e a primeira da região Norte Fluminense, esteja constituída em 18 meses. As ZPE’s são áreas de livre comércio, destinadas à instalação de empresas, com 80% de sua produção voltada para a exportação.

Segundo agendamento — A visita ao Porto do Açu chegou a ser agendada para o mês de julho (aqui), mas foi desmarcada por uma mudança na agenda do ministro.

 

Terminal de Petróleo do Porto do Açu começa a operar

unnamed

O Terminal de Petróleo (Toil) do Porto do Açu iniciou nesta segunda-feira (29) sua primeira operação de transbordo de petróleo. A operação é referente ao contrato com a empresa BG E&P Brasil Ltda., subsidiária da Royal Dutch Shell, assinado em junho de 2015.

A operação, que está sendo realizada com as embarcações Bossa Nova Spirit e SKS Sinni, está transcorrendo dentro de todos os padrões de normalidade e requisitos de segurança adotados pelo terminal, e tem expectativa de duração total de 36 horas até a desatracação de ambas as embarcações envolvidas.

No Toil, a operação de transbordo é realizada em área abrigada por um quebra-mar, possibilitando uma operação segura e rápida, com eficiência e redução de custos para os clientes, o que aumenta a competitividade do petróleo brasileiro. Na operação, um dos navios atracado e o outro a contra bordo, ambos cercados por barreiras de contenção a derrame no mar. Este tipo de operação permite maior segurança no transbordo durante todo o ano.

Atualmente, o canal do Toil possui 20,5 metros de profundidade, e pode receber inicialmente navios Suezmax. Até o final de 2017, a previsão é que a profundidade do terminal seja ampliada para até 25 metros. Com a ampliação da profundidade, o Porto do Açu poderá receber no T-OIL navios da classe VLCC (Very Large Crude Carrier), que carregam até 320 mil toneladas. Os berços Norte e Central do terminal serão capacitados para transbordo entre navios tipo VLCC e SuezMax e o berço Sul, apenas para transbordo entre navios SuezMax.

Fonte: Assessoria

Porto do Açu lança campanha de prevenção a incêndios florestais

Combate a incêndio na mata Caroara em 2010 (Foto: André pinto/Arquivo/2010)

Combate a incêndio na mata Caroara em 2010 (Foto: André Pinto/Arquivo/2010)

Você sabia que entre os meses de junho a outubro são maiores as chances de incêndios florestais? Isso por causa dos ventos fortes, que ajudam a alastrar os focos de incêndio.

Para alertar a população de Campos e São João da Barra para este problema, o Porto do Açu lança nesta semana uma campanha de prevenção a incêndios florestais. Durante 30 dias, serão realizadas blitzen educativas nas estradas de acesso ao porto, além de distribuídos cartazes e instalados outdoors.

—Na região, temos muitos registros de incêndios por causa da caça a preás. Por isso é importante reforçar o perigo de colocar fogo para limpeza de terreno e de dirigir próximo a incêndio florestal, pois a fumaça dificultará sua visão — explica João Teixeira, Gerente de Sustentabilidade do Porto do Açu.

Os materiais contam com dicas como: evitar jogar lixo e pontas de cigarro perto de qualquer tipo vegetação, manter o fogo longe da área de preservação ambiental, não jogar latinhas e objetos de vidro nas matas e não limpar terrenos usando fogo.

Caso identifique um foco de incêndio, o morador deve ligar o para o Corpo de Bombeiros (193) ou, se estiver em área próxima ao Porto do Açu, entrar em contato com a Brigada de Incêndio do Porto, pelo telefone (22) 98123-5555.

Fonte: Assessoria

Terminal de Petróleo do Açu autorizado a receber navios do exterior

Terminal de Petróleo 07-06-2016 foto Michelle RichaO Terminal de Petróleo (Toil) do Porto do Açu, desenvolvido em parceria pela Prumo e a alemã Oiltanking, recebeu no dia 10 a aprovação da Receita Federal para alfandegamento. Entende-se por alfandegamento a autorização para estacionamento ou trânsito de veículos procedentes do exterior. O terminal tem 20,5 metros de profundidade, 1.423,50 metros de cais e mais de 70 mil metros quadrados de área total.

Com operação prevista ainda para este mês, o terminal poderá realizar simultaneamente três operações de transbordo entre navios atracados a contrabordo, conhecida como ship-to-ship. Inicialmente serão utilizados navios Suezmax e, partir de 2018, com a dragagem do canal para até 25 metros, o porto poderá receber navios VLCCs, que carregam até 320 mil toneladas.

O primeiro cliente do terminal é a Shell, que assinou contrato para movimentar, a partir deste mês, 200 mil barris por dia, pelo período de 20 anos. O terminal tem capacidade para movimentar 1,2 milhão de barris por dia.

O Toil, terminal construído em área abrigada por quebra-mar, possibilita uma operação segura, rápida e eficiente, com redução de custos para os clientes, o que aumenta a competitividade do petróleo brasileiro. Além disso, a operação no Porto do Açu reúne características de alto nível que oferecem atendimento de qualidade para toda a indústria de óleo e gás.

O Toil foi inaugurado em junho (aqui). No mês passado, foram 16 manobras de treinamento. Para os testes, os navios eram carregados com água no lugar do petróleo.

Com informações da Prumo

Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados