Categorias

Prefeitura quer fechar PU da Saldanha Marinho

 PU-Saldanha

 Amanhã, haverá uma reunião entre o Secretário de Saúde Dr. Geraldo Venâncio e o chefe do PU da Saldanha Marinho Edgar Manhães para discutir o fechamento daquele posto para reformas e a transferência das equipes médica e de enfermagem, “que não podem ficar paradas”, para a o posto da Penha, sem previsão se haverá retorno.

Também, segundo o secretário, “o eventual fechamento da unidade é indispensável para reformas no antigo prédio do “Sandú”, bastante deteriorado e precisando urgentemente de revisão nos telhados, rede elétrica etc…, alvo de reclamações da própria equipe médica, e hoje utilizado praticamente para atendimento ambulatorial. Não havendo prazo para reativação do posto. Casa velha sempre tem surpresas”. Ele também alega que teria havido redução no número de moradores daquela área e que o atendimento passaria a ser feito pelas UBS do Turfe Clube e do Jóquei Clube, com opções de atendimento 24 horas na Penha, no Hospital São José, no Hospital Ferreira Machado, no PU e no Hospital Geral de Guarus.

Médicos repudiam 

Ouvidos por esse blog, médicos do PU da Saldanha Marinho que, por motivos óbvios, preferiram não se identificar, mostraram grande preocupação com a paralisação do atendimento à população que utiliza aquele Posto, em sua maioria carentes, que não terão como se locomover até a Penha ou outras unidades, além de dificultar sobremaneira o serviço prestados por eles médicos na confirmação de óbitos por causas naturais e confecção atestados de óbitos nos bairros periféricos e nas comunidades.

Os médicos alertam que o PU tem uma Sala de Mal Súbito para estabilizar e encaminhar pacientes graves, Triagem feita por Corpo de Enfermagem, três enfermarias de repouso, e Internação para observação e encaminhamento.

Os profissionais também demonstraram estranhar a coincidência da sua transferência e dos serviços para uma área de maior coeficiente eleitoral às vésperas da campanha eleitoral municipal.

Ainda segundo eles, a UBS da Penha é muito bem montada, mas não conta com corpo profissional para funcionar e, como a prefeitura não pode contratar nesse período pré-eleitoral, surgiu uma urgência de profissionais para a que UBS da Penha não seja “um tiro no pé” do governo municipal em uma área de grande número de eleitores.

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Monumento à ignorância

Olhem só o tamanho do absurdo!

Olhem só o tamanho do absurdo!

camelo-ignorante-X3

Os tradicionais permissionários do Mercado ficarão definitivamente emparedados pelo Camelódromo, quando uma praça poderia humanizar e dar nova vida ao local

A divulgação evita imagens frontais, mostrando apenas a lateral, apesar de deixar ver o emparedamento do Mercado

A divulgação evita imagens frontais, mostrando apenas a lateral, apesar de deixar ver um tipo de emparedamento do Mercado

Para os populistas da Lapa, que seguem cegamente a esférica doutrina do vale tudo para se manter no poder, o patrimônio histórico e arquitetônico de Campos, pelo jeito, não vale nada.

Foram iniciadas as obras do maior monumento à ignorância e o descaso e à nossa história, já erigido no município, um paquidérmico “Camelódromo” de dois andares que irá, sem dó nem piedade, cobrir totalmente a fachada do belo Mercado Municipal de Campos, atropelando seus 95 anos de existência.

A estranha obra, de fortes contornos eleitorais, com parecer contrário do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, só está sendo retomada praticamente às vésperas das eleições municipais, vai trazer prejuízos irrecuperáveis para todos os campistas, em favor do continuísmo no poder de um grupo político, o mesmo que é responsável por quebrar e endividar o município por décadas.

Ainda que se queira favorecer “empresários” particulares em um logradouro público utilizando verbas públicas, e em desfavor do comércio legalmente estabelecido, e tradicionalmente pagador de impostos, não haveria outro local para instalar os camelôs?

É preciso que a Justiça tire a venda dos olhos e impeça de vez esse descalabro, que será lamentado por muitas e muitas gerações de campistas.

Comentário do Leitor nos Estados Unidos:

Nao gosto de comparar, mas terei que comparar, aqui na cidade onde vivo, temos um mercado lindo, ha 10 anos estava completamente abandonado, vivo no estado de Ohio nos EUA um dos estados que mais sofreu com a crise dos anos 70, a cidade e menor do que Campos, 300 mil habitantes, pobre comparada a Campos e sem petroleo, a cidade vive de impostos, ha 10 anos a prefeitura resolveu restaurar o mercado, restaurado o mercado agora e uma das maiores atracoes turisticas da cidade, ao redor foram construidos pracas e muitos restaurantes, hoje o bairro do mercado e um dos bairros mais movimentados da cidade, o movimento e tao grande que o mercado ate 2015 funcionava 3 dias/ semana e agora funciona ate os domingos, qual a dificuldade de Campos para fazer igual? ou melhor? ( abaixo o mercado daqui)

camelo-usa-2

camelo-usa-1

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

O Titereiro da Lapa

marionete-2

Depois de mexer os pauzinhos na eleição de Bruno Dauaire, contrariando o seu genitor, tudo indica que Wladmir Oliveira também está mexendo peças no xadrez da eleição do novo prefeito de Campos. Com poucos minutos de diferença, ele e Rogério Matoso foram vistos entrando no edifício onde mora Roberto Henriques. Mas, dessa vez, estaria apenas servindo de peão no xadrez do titereiro da Lapa para estimular a candidatura de Rogério e tirar votos de Rafael.

Atualização:

A assessora de imprensa de Rogério Matoso enviou uma “Nota Oficial” para a jornalista Suzy Monteiro, apesar de não citar o texto acima, não negar a visita ao apartamento e não assinar a  nota, a publicamos como exercício do contraditório: Veja abaixo a nota na íntegra:

NOTA Oficial

Não existe conversa com o grupo do governo

                De acordo com o pré-candidato à prefeitura de Campos Rogério Matoso, a notícia de que estaria conversando com o grupo do governo é mentirosa. Ele reafirma seu compromisso em ser candidato a prefeito de Campos, pelo PPL e tem mantido contato com todos da oposição.

                O momento, segundo Matoso é de paz, e o mais importante agora é buscar o melhor caminho para o município e deixar a população tranquila para que possa escolher o destino que Campos irá seguir a partir das próximas eleições.

                “Sou pré-candidato a prefeito porque acredito que podemos fazer Campos voltar a ser uma referência em desenvolvimento, tanto no setor Rural, quanto nas questões urbanas e sociais. Não tem conversa e nem acordo com esse desgoverno, que faliu nossa cidade. Sou pré-candidato a prefeitura de Campos e esse é meu compromisso. Não dá mais para viver de fofoca e de mentira, o que queremos nessa eleição é um jogo limpo e que traga de verdade a paz para essa cidade” – destacou Rogério

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Desrespeito: Usuário sem vez no Shopping Estrada

Shopping-Estrada-X

Sem nenhum outro motivo que justifique, a não ser o maior comodismo dos taxistas, e a complacência dos responsáveis por aquele logradouro público, a área de embarque e desembarque do Shopping Estrada (nossa rodoviária), tem a sua utilização, para quem chega de carro, totalmente bloqueada com a utilização com cones, inclusive, avançando na via de circulação, o que provoca uma situação perigosa para os condutores de veículos e para quem precisa desembarcar com bagagens, também dificultando ou impedindo o embarque e desembarque de deficientes físicos. Os usuários, para quem foi construída a rodoviária, que se virem…

Shopping-Estrada (2)

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Ivald Granato – A primeira exposição do artista campista que nasceu para o mundo

Ivald (3)

Ivald (2)

Ivald

Fotos da primeira exposição individual do grande artista plástico campista Ivald Granato, ainda em início de carreira, pelo fotógrafo Oscar Barros, no espaço do antigo Banco Português do Brasil, Edifício Brasiluso, na Rua Santos Dumond com a Rua 21 de Abril.

Era 1967, a apresentação de Ivald foi feita por Vilmar Rangel, um campista que amor por nossa história. O texto feito por ele em de 23 de junho de 1967, justificava a busca do artista por um estilo, atitude própria dos que se iniciam na arte: “Mas nessa busca já nos revela a multifária efervescência de sua imaginação, a potencialidade de sua inventiva. E o faz com engenho e arte, seja pela escolha do tema, seja pela adequação da técnica, seja ainda pelo emprego ora sábio oura audacioso da cor, seus matizes sombrios ou violentos”.

Era uma premonição de Vilma Acho quanto aos saltos que ele iria dar, com um estilo muito próprio, muito personalista…

Em uma das fotos ele aparece ao lado de convidados, como o arquiteto Renato Marion de Aquino de costas e Vilmar, o quarto da esquerda para a direta, junto a Ivald, e mais baixo (terceiro). Na outra foto ele aparece ao lado da esposa, e na última novamente com Renato.

Na noite em que Ivald foi homenageado pela Folha da Manhã com o troféu “Folha seca”, Vilmar foi ao camarim e o presenteou com o texto que havia feito para a individual, em uma moldura. (fotos cedidas por Vilmar Rangel)

ivald-grussai

 ivald-longa

Cerimônia do adeus ao artista Ivald Granato

Celso Cordeiro Filho

O corpo do artista plástico campista Ivald Granato foi enterrado na manhã desta segunda-feira (4), no cemitério Getsêmani, na Zona Sul de São Paulo. Ele morreu — enfartou enquanto dormia — no domingo (3), em sua casa, em São Paulo, e deixou cinco filhos. O velório teve início na mesma noite. Durante a madrugada, amigos e parentes foram se despedir do artista.

Ivald ficou conhecido há décadas fazendo performances de rua. Ele também pintou quadros e fez esculturas. Neste ano, Granato, de 67 anos, ganhou uma exposição dos 50 anos de carreira, na galeria da Caixa Econômica Federal, em Brasília.

Segundo a família, ele morreu durante o sono. “Ficaremos com o carinho dos amigos e a alegria que ele sempre trouxe”, diz nota da família em sua página no Facebook.

Nascido Campos (RJ), em 1949, Granato estudou pintura com Robert Newman em 1966. No ano seguinte, ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Sua presença nas artes plásticas é marcante, tendo exposto nas mais importantes galerias do mundo. Após breve tempo no Rio, Ivald mudou-se para São Paulo, onde considerava os espaços “extremamente profissionais”.

Segundo seu filho Pedro, que é diretor de teatro, Ivald ultimamente vinha se dedicando à organização de sua produção artística. “Embora solto na vida, era extremamente organizado na produção artística. Sabia o que queria e como obter este resultado”, observou. (Folha da Manhã)

Morre Ivald Granato

Foi com desenhos e traços repletos de traços autobiográficos, como “Auto-Retrato no Quadro” (1973), que Granato despontou na cena artística brasileira. Por duas vezes, em 1979 e 1982, recebeu o prêmio de melhor desenhista do ano da Associação Paulista dos Críticas de Arte (APCA).

Apesar de ter surgido como pintor, ele despontou mesmo foi com as performances e passou a fazer a partir de 1970. Granato foi um dos pioneiros no mundo da arte performática que mesclavam recursos fotográficos, cinematográficos a elementos sensoriais e táteis. Seu trabalho o coloca ao lado de Hélio Oiticica (1937-1980) e Lygia Pape (1927-2004).

Em uma delas, chamado de “Mitos Vadios”, levou para um estacionamento da Rua Augusta uma exposição de obras em 1978. Ao dele estavam Hélio Oiticica, Claudio Tozzi e Ana Maria Maiolino.

A partir da década de 1980, entra para a Banda Performática, liderada pelo artista José Roberto Aguillar. As apresentações não trazia apenas música. Também havia pintura, teatro e elementos circenses. (O Globo)

Um artista completo

Ivald Granato (Campos dos Goytacazes29 de dezembro de 1949  — São Paulo3 de julho de 2016) foi um artista plástico, artista performático e escultor brasileiro.

Viveu em sua cidade natal até 1966, onde começou a desenhar desde muito cedo sob influência dos pintores cubistas. Ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1967. Na década de 1970 e 80 apresentou diversas performances e intervenções, recorrendo ao vídeo e à fotografia para documentá-las. Sua obra também é composta por telas e litografias e é autor de vários livros.

Em 1970, viajou pela América Latina para estudar cores. Em 1979 recebeu da Associação de Críticos de Arte o prêmio de Melhor Desenhista.

Viveu e trabalhou em São Paulo.

Em 2002, Ivald Granato foi homenageado pelo Troféu Folha Seca, prêmio anual dado pela Folha da Manhã a campistas que se destacam em suas carreiras.

Ivald Granato morreu na madrugada do dia 3 de julho de 2016, em sua residência, vítima de uma parada cardíaca. (Wikipédia)

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Campos, bons cinemas, péssima educação

cinema-pes-

Cena de horror na platéia de Truque Mestre 2, no Cine Araújo do Boulevard

Campos hoje conta com ótimos cinemas, com modernas e luxuosas salas de exibição, o que contrasta fortemente com o comportamento de muitos campistas, que deixam as salas imundas ao fim das sessões, apesar da farta oferta de latas de lixo na saída. Muitos falam alto, e bobagens, como se estivessem em casa, sem se incomodar ao mínimo em atrapalhar aqueles que pagaram para ver um bom filme em paz. Deixam seu celulares ligados, recebem ruidosas chamadas e iluminam as salas atendendo. Mas, entre os costumeiros desrespeitos e falta de civilidade, um chama a atenção, jovens muito bem vestidas que ostensivamente colocam os seu pés  sobre o encosto do banco da frente exibindo suas caras sandálias, scarpins e total falta de educação.

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Os “Órfãos de Rosinha” têm padrasto

avelino-robson

Aparentemente mal informado, e dormindo muito cedo e bem agasalhado, ou, na realidade, apenas exercitando na prática a arte da negação do óbvio, como reza a cartilha do seu pequeno mestre Yoda da Lapa, o funcionário da Câmara Municipal de Campos Avelino Ferreira resolveu culpar os “Órfãos de Rosinha” por seu próprio sofrimento nesse inverno, ao dormirem tiritando ao relento nas calçadas laterais à praça principal de Campos, além de taxá-los de forasteiros e alcoólatras: “saiba de onde são os “moradores de rua”, “o porque de não desejarem ficar nas casas de atendimento da Prefeitura (nas quais a bebida alcoólica é proibida)”.

Avelino escolheu como canal para descarregar a sua ira de pior cego (aquele que não quer ver) o Facebook do jornalista Robson Cândido, da Plena TV, que havia compartilhado a postagem desse blog, sob o título “Vive-se um verdadeiro pesadelo na história de Campos”, trazendo as incontestáveis fotos do descaso do poder público, esse sim, o maior responsável pelo desnecessário sofrimento dos “Órfãos de Rosinha”, que agora sabe-se, têm padrasto. E tudo isso no mesmo dia em que a cidade deglutia  a amarga notícia de mais desperdício de dinheiro público para alimentar a farra oficial dos shows e trios elétricos.

Avelino teve a sua estranha pretensão de defender o indefensável imediatamente repudiada por Robson Cândido: “Sobre os moradores, se estão em Campos, deveriam no mínimo, estarem sendo acompanhados por profissionais competentes e pagos com o nosso dinheiro”, “Em relação ao ALCOOLISMO, (dos moradores de rua) também temos profissionais competentes e pagos com o nosso DINHEIRO para atendê-los! Finalizando: espero que esteja, e com certeza deve estar, neste momento bem agasalhado!”.

Avelino podia ter dormido sem essa, para não ter algum pesadelo…

Abaixo, mais alguns dos incontáveis comentários no Face de Robson sobre os “Órfãos de Rosinha”, que viralizaram nas redes sociais

avelino-robson-2

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Os Órfãos de Rosinha

a--relento-3

a--relento-2

A beleza de cartão postal da madrugada refletindo as luzes no frio do granito da Praça São Salvador não é suficiente para esconder a face mais cruel do abandono pelo poder público.

Nas calçadas laterais, tentando fugir da luz dos postes e do inverno implacável, pessoas dormem no chão, ao relento, tiritando de frio. Separando a pele humana das ásperas e geladas pedras portuguesas, apenas finas folhas de papelão recolhidas do lixo do comércio e alguns velhos e minguados cobertores.

Só quando, completamente vencidos pelo cansaço, se abrigam em suas minúsculas tendas nômades dos sonhos, o mais íntimo dos territórios, conseguem uma fugaz trégua do desamparo e do trauma da sua condição social, um pequeno repouso para o corpo e o espírito.

São os órfãos de Rosinha, para quem não importam shows caros ou retumbantes trios elétricos. Para eles, apenas um teto noturno, quatro paredes, e a dignidade de um banheiro e um prato de sopa fariam toda a diferença…

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Aniversário de SJB com Manifestação Geral em clima de funeral

526-sjb-manifesta-1-x

Hoje, São João da Barra completa 166 anos, mas a “comemoração” foi às avessas, com uma enorme Manifestação Geral, em clima de funeral pelas ruas da cidade, reunindo estudantes protestando contra o corte de passes e bolsas, artistas e músicos protestando por falta de pagamento, funcionários das terceirizadas protestando contra o desemprego, e donas de casa protestando contra a vexatória situação de penúria da cidade.

526-sjb-manifesta-6-x

526-sjb-manifesta-7-X

Sexta-feira negra para o prefeito Neco, que, apesar de contar com uma receita de cerca de 350 milhões por ano. Mais ou menos de 26 a 29 milhões mês, perto de 1 milhão por dia, decretou emergência econômico financeira no município, quase uma falência.

As celebrações pelo dia da Cidade, e até a entrega da medalha Barão de São João da Barra, a maior honraria do município, foram suspensas.

Fotos Portal OZK

Fotos Portal OZK

526-sjb-manifesta-4-x

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Único hospital de S. João da Barra pode fechar as portas por falta de pagamento da PMSJB

sta-fachada

Único hospital São João da Barra pode fechar

Como diz o velho ditado: “Nada é tão ruim que não possa piorar”. Neco, perfeito de São João da Barra, já está perdendo o controle da situação. Ele passou a semana sendo fustigado pelos cortes de energia executados pela Ampla em importantes órgãos públicos, como a Defensoria Estadual, bloqueio do acesso ao prédio do CRAS por falta de pagamento, e até protesto da Banda União dos Operários, que diz ser obrigada a fechar as portas por corte na subvenção municipal.

Agora Neco se vê às voltas com um problema muito mais grave. A Santa Casa de Misericórdia de São João da Barra, o único hospital do município, divulgou nota oficial informando que a instituição, fundada em 1873, deverá fechar as portas por falta de medicamentos, pessoal e insolvência financeira.

A instituição declara que tem convênio em vigor desde 2003, mas que em 2015, na administração Neco, a instituição perdeu a sua capacidade de pagamento sendo obrigada a “alocar recursos que deveriam ser utilizados em investimentos, fundos de contingência e reserva, pois tanto a remuneração do SUS quanto a do convênio (008/2015) com o município eram creditadas muito afora às datas pactuadas”, afirma na nota.

A instituição ainda diz que as parcelas dos meses de outubro, novembro e dezembro de 2015 não foram pagas, mas que foi firmado o convênio 015/2016 com o município, sendo este um estímulo para manter a estrutura em funcionamento pleno. “Firmados os convênios 2015 e 2016, deveres e direitos foram definidos. “A não cobertura financeira da estrutura pelo Poder Municipal, pendentes até hoje, nos trouxe uma dívida certa e tamanha”, “Iniciamos a desativação do hospital. Não há como suportar tal situação. Ou existe a imediata condição de se repor os valores não pagos, ou nos deparamos com a realidade da paralisação extrema das atividades. 143 anos de vida de uma instituição representam um acervo incontestável para uma cidade. O quadro da deformação de uma Santa Casa por ora vivenciado em São João da Barra, não pode ser encarado como uma simples questão de falta de avaliação. Não pode ser qualquer decisão sem a profundidade de responsabilidades”. “Lamentável”. Veja abaixo e confira (AQUI).

Fac Símile OZK

Fac Símile OZK

 

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter
Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados