Categorias

Panga, das águas turvas do Mekong para a mesa dos campistas. Assista aos vídeos

 

A aparência até que é boa, mas a verdade revira o estômago

Muita gente debateu aqui no blog sobre o polêmico consumo do peixe Panga, que vem do rio mais poluído do Vietnam diretamente para a mesa dos campistas, através das grandes redes de supermercados brasileiras, algumas instaladas em Campos.

Sem dar bola para o azar, teve quem duvidasse do post e garantisse que iria continuar comendo o Panga, que era delicioso, carne branquinha etc. Pois bem, agora estou disponibilizando vários links e dois vídeos sobre as fazendas de criação desses peixes, considerados por franceses e americanos como um verdadeiro veneno em suas mesas, contaminados pela poluição e pelos hormônios utilizados em sua criação.

Sopa de poluentes


Quando você pensa em 22.000 toneladas de resíduos industriais por ano, provavelmente não pensa sobre o peixe Panga, mas certamente você deveria. O rio Mekong, onde ele é criado, percorre China, Tailândia, Laos, Birmânia, Camboja e Vietnã.

Bactérias & arsênio

Algumas pesquisas divulgadas por sites apontam que os pangas estão infestados com elevados níveis de venenos e bactérias, arsênio dos efluentes industriais, tóxicos e perigosos subprodutos do crescente setor industrial, metais contaminantes, bifenilos poli clorados (PCB), o DDT e seus (DDTs), clorato, compostos relacionados (CHLs), hexaclorocicloexano isómeros (HCHs), e hexaclorobenzeno (HCB), isto, porque o rio Mekong é um dos rios mais poluídos do planeta. E é aí que pangas são cultivados e as indústrias de produtos químicos ao longo do rio despejam seus resíduos industriais.

Receita de Panga: Água poluída e muito hormônio

Além disso, os pangas são injetados com PEE. Alguns cientistas descobriram que se injetassem as fêmeas pangas com hormônios femininos derivados de desidratado de urina de mulheres grávidas, a fêmea Panga produziria os seus ovos muito rapidamente e em grande quantidade, o que não aconteceria no ambiente natural (uma Panga passa a produzir, assim, aproximadamente 500.000 ovos de uma vez). Basicamente, são peixes com hormônios injetáveis (produzidos por uma empresa farmacêutica na China) para acelerar o processo de crescimento e reprodução.

Banheiro e lavanderia

A realidade é bem diferente da publicidade

As razões para essa contaminação se tornam muito claras quando tomamos um olhar para as práticas que ocorrem ao longo do Mekong. Fábricas de cerveja ou de cimento são encontradas firmemente situadas ao longo das margens do rio, também sobre estes bancos estão milhares de residências de uma população que usa o rio como banheiro e lavanderia. Todos os dias 100 toneladas de peixes estão sendo processadas para exportação neste mesmo rio, ao lado das peças íntimas sujas de alguém.

Panga tem comida farta: excrementos e dejetos

Esse peixe asiático de água doce, natural de rios extremamente poluídos por excrementos, dejetos e toda sorte de poluição biológica, física e química devido, entre fatores diversos, à maciça ocupação de barcos que servem de vias e milhares de moradias que constituem aglomerados populacionais de pessoas carentes de serviços sanitários e salutares.

Esse ambiente condiciona por si só o desenvolvimento e procriação de peixes adaptados a esse habitat degenerativo.
O nível de poluição dessas águas é de tamanha magnitude que as próprias pessoas que por lá convivem têm nojo e repugnância dos víveres dessa água. Essas condições associadas viabilizam a proliferação exacerbada de peixes tipo bagre, o que enche os olhos dos especuladores inescrupulosos que conseguem com tremenda facilidade realizar farta e rentável “pescaria” para a venda dos seus produtos no terceiro mundo afora – de quebra no Brasil, incluindo Campos. E aí, vai um panguinha frito?

Vídeos

Murky Mekong Fish – Pollution Video – Scary Information:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=fx4cykHy0RM

Outro pior ainda:

http://www.youtube.com/watch?v=h1nEPzsFpc0&feature=player_detailpage

Links:

http://k9keystrokes.hubpages.com/hub/POISON-CATFISH-IMPORTED-FROM-THE-MEKONG-RIVER

Don’t Eat this fish: Pangas (Pangasius, Vietnamese River Cobbler, White Catfish, Gray Sole)

http://www.dietmindspirit.org/2008/01/30/why-you-shouldnt-eat-this-fish-pangas-pangasius-vietnamese-river-cobbler-white-catfish-gray-sole/

Compartilhe
  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

23 comments to Panga, das águas turvas do Mekong para a mesa dos campistas. Assista aos vídeos

  • celio marins

    Belíssima matéria parabéns.

  • Ricardo

    O pior, é que esse peixe já está sendo comercializado a muito tempo, nos restaurantes, pelo seu baixo preço. Pra vc ter uma idéia ele vem de tão longe e ainda conseguem ser mais barato que os peixes pescados na nossa região, acredite se quiser. Isso está fazendo com que os donos de restaurantes façam os famosos filés de peixe, com esse peixe. Eu mesmo acabei comendo em um restaurante macaense, referência em frutos do mar. Só fiquei sabendo porque um amigo meu que vende frutos do mar me falou. A B S U R D O ! ! ! É uma tremenda falta de respeito. Vamos divulgar isso até que as autoridades proíbam a entrada desse veneno em nosso país.

  • ADELSON

    Caro Esdras,
    Nunca comprei peixes em supermercados. Mas apenas por curiosidade, e já que existem provas tão contundentes de que esta espécie de peixe é prejudicial, não custa perguntar: quais são os estabelecimentos que comenrcializam esta coisa aqui em Campos? Por que a Inspeção sanitária ou os órgãos de saúde não apreenderam esta aberração?

  • Leo

    A parte que não entendo é a de que se o produto é importado e sendo alimentício deveria ter sua composição analisada pelos órgãos de saúde brasileiro.

    Se tem metal pesado e outros contaminantes proibidos pela legislação e em valor acima do permitido, deveriam ter sido bloqueados e ter proibição de venda.

    Agora, visto que já perdi a conta de quantas vezes recebi emails sobre este peixe, porque nenhum órgão ou instituição se pronunciou quanto a averiguação do problema e/ou proibição da importação do mesmo?

    Precaução e canja de galinha não fazem mal a ninguém, mas isto parece mais um boato da indústria brasileira de pescados, juntamente com as de outras carnes e aves, além é claro dos vendedores de crepe.

  • Henrique

    Parabéns pela matéria…

    Deveria ser melhor divulgado o assunto.

  • olegario rebenque

    ¿Panga? ¡Que lo coma Zapatero…..!!!

  • Caro Diego, essa página aí é daquelas, já vi. Cada um acredita no que quer. Acredite, não coma o Panga, na dúvida vai de peruá, merluza, robalinho etc. Abraços.

  • Padilha

    Pra variar, muitos falam sem saber, terrorismo puro!
    Vocês acreditam na ANVISA, ou este órgão também esta sendo manipulado pelo interesse de uma meia dúzia de pessoas!!

    Olhem este link:

    http://www.sistemampa.com.br/bom-dia-divinopolis/anvisa-nega-que-consumo-de-peixe-panga-ofereca-riscos-a-saude/

  • Priscila

    Para sanar as dúvidas, nada melhor do que a resposta do MAPA que é responsável pela regulamentação e regulação dos alimentos de origem animal, como carnes, peixes, ovos, mel e dos alimentos de origem vegetal e bebidas durante a produção, assim como a importação exportação de alimentos de origem animal.

    Prezada Priscila,

    Obrigado pelo contato realizado.

    Informamos que estas informações não tem veracidade conforme consta em explicação das áreas abaixo:

    “Informação dada pela Divisão de Inspeção de Pescado do DIPES/DIPOA/MAPA N° 217/2011 a respeito das informações disponibilizadas na internet sobre possíveis contaminantes presentes no peixe panga:

    O Vietnã, assim como todos os demais países que pleitearam o reconhecimento de equivalência do sistema de inspeção em pescado com o Brasil, inicialmente preencheu um questionário com as informações necessárias no sentido de explicar o funcionamento da Inspeção de pescados implementada pelo sua Autoridade Sanitária no sentido de garantir a qualidade e inocuidade de seu produtos.
    Após uma avaliação das informações prestadas, e tendo em vista denúncias veiculadas pela internet sobre suspeitas relacionadas à segurança do consumo do peixe da espécie Pangasius produzido pelo Vietnã, foi realizada uma missão sanitária ao país para verificar se o seu sistema de inspeção poderia ser considerado equivalente ao brasileiro.
    Esta missão foi realizada em dezembro de 2009, quando foram inspecionadas indústrias que pleiteavam a exportação ao Brasil, assim como foram auditados os controles sanitários exercidos por sua autoridade sanitária, o NAFIQAD.
    Durante a auditoria pode-se perceber que o país demonstrou muita seriedade nos seus controles e que as empresas realizavam o monitoramento dos perigos relacionados com a segurança dos produtos por elas elaborados, sob a verificação de sua autoridade sanitária oficial, comprovada com documentos e evidências de auditoria, e que monitoram de perto os processos de cultivo e elaboração dos produtos da pesca, possuindo laboratórios atuantes e estruturados para este controle.
    Como em toda missão sanitária, foram detectadas algumas não conformidades com as práticas industriais adotadas no Brasil, mas nada que justificasse a suspensão da autorização para exportação dos produtos ao Brasil sob o ponto de vista sanitário, ficando o NAFIQAD incumbido de acompanhar as ações corretivas necessárias a sanar as deficiências e encaminhar os resultados ao Brasil.
    Posteriormente a autoridade sanitária vietnamita encaminhou o relatório do cumprimento das ações corretivas desencadeadas pela missão e desde então, apesar de já solucionadas as pendências relacionadas ao processamento industrial, como ficou descrito no relatório da missão, estão em avaliação alguns pontos que precisam de esclarecimento com relação ao controle de resíduos e à produção primária (fazendas de cultivo). Para tal a Coordenação de Resíduos e Contaminantes do MAPA o Setor de Sanidade Aquícola do Ministério da Pesca e Aquicultura – MPA vêm realizando a avaliação das informações.
    Nesse sentido é importante esclarecer que a atribuição legal do monitoramento das propriedades de cultivo de pescado pertence ao MPA, que abriu o procedimento de análise de risco de importação específico para este produto.
    Mas especificamente com relação à conclusão do processo de avaliação das questões supramencionadas, foi agendada uma nova missão ao Vietnã para o mês de março de 2012 para verificar especificamente o cultivo nas fazendas de criação e o controle laboratorial de resíduos e contaminantes.
    É importante salientar que até o momento todas as amostras que foram coletadas dos produtos do Vietnã e analisadas nos laboratórios oficiais para resíduos e contaminantes apresentaram resultados conformes com as normas brasileiras, de forma que, em princípio, não houve motivos para suspender as importações do produto por razões sanitárias.
    Salientamos que o Pangasius vietnamita é exportado para países de todo mundo, incluindo os da União Européia, Japão, Estados Unidos, Canadá e Rússia, e que o país recebe frequentemente missões das autoridades sanitárias desses mercados importadores, para estabelecimento das equivalências com seus respectivos sistemas de inspeção.
    Esta Divisão se coloca à disposição para esclarecimentos necessários sobre o funcionamento das empresas auditadas naquele país, enquanto reforça que as medidas pertinentes à atualização das informações continuam sendo adotadas pelos setores do governo responsáveis por esta área.”

    De qualquer forma estamos cadastrando sua demanda para que conste em nossos registros já com esta resposta.

    Atenciosamente,

    OUVIDORIA/MAPA

    • Cara Priscila,

      Boa postagem, realmente contribui para o alto o nivel e o bom debate sobre o Panga. Resta saber até que ponto se pode confiar nas autoridades sanitárias brasileiras. Afinal de contas, é sobre o setor público que pairam as maiores dúvidas da sociedade brasileira e, esse caso do peixe asiático, envolvendo apetitosos milhões e milhões de dólares. Abraços. Continue colaborando.

    • Carlos

      Acho muito puritano de sua parte acreditar numa nota do governo brasileiro.

      Num país governado pelas empresas onde os preços são os maiores do mundo e a mais valia supera todas as expectativas, deveríamos pensar porque outros governos(países) impõe barreiras e o Brasil deixa entrar isso

  • paty

    Bando de idiotas, o peixe não tem nada!!!! vocês poe a boca em coisa muito pior….

  • álvaro pereira

    Olá, pessoal gostei da resposta da paty,Esdras o c acha q as carnes,bovina, suínas e de frango
    que vc compra nos açougues ou nos mercados,são melhores de q esse peixe panga ? (pro 6 terem conhecimento, do q acontece aqui no brasil tbm, com referencia a criação de tilápias de cativeiro tbm se usa uma ração de hormônios de asecxagem, para o peixe macho q é menor q a fêmea,então ele muda de sexo masculino para feminino,para ganhar peso maior, e aumentar o R$, no bolso do produtor),valeu.

  • vitor

    bom, comprar peixe importado, morando no brasil, é meio estranho, e isto ocorre por que é barato para revenda, pois um peixe do amazonas, alem de ser mais gostoso, é brasileito.

    e este baixo preço deve ser de alguma forma ou um desaforo a natureza e aos trabalhadores pois o peixe é criado de qualquer forma no viatina, comendo lixo e merda, e o que vier é lucro a partir desta vida que se cria e come, é lucro.

    talvez algo tão bom como o peixe e tão simples de ser criado, poderia ser o nosso sustento farto, o certo era termos criadouros de peixe em todas as cidades, muito peixe, varios tanques, de todos os tipos, deixando este rios em paz.

    agora eu só estou me pronuciandio, pois comprei hoje um pangá no wal mart, e procurei por uma receita na internet e um garota no comentario da receita falou sobre os problemas do pangua em mekong.

    bom, a unica forma de mudar, é educando e então por isto estou escrevendo, para colaborar com a boa vontade de ajudar.

  • Wallace

    até quando vcs irão acreditar em hoax…. fala sério. Alemanhã, Espanha, França, todos importam esse peixe, e além disso ele é bem consumido por lá.
    Quer dizer que todos do munto todo estão sendo enganados pelo fato de ser um peixe barato. Na realidaade o maior problema deve ser esse, o fato dele ser mais barato que a tilápia.porr…. não ferra.

  • Marildo Louzano

    Intao galera, sera que esse rio la do vietnã é tao poluido quanto o rio tiete na região de Barbosa, Araçatuba, e Buritama. Todos comemos peixes daqui e ainda não vi nimguem comentar sobre nossa região

  • Sebastião Soares Junior

    Que coisa feia, não temos peixes para o abastecimento no mercado interno?

    Já não bastam as porcarias das quais se alimenta o brasileiro e ainda importamos mercadorias sujeito a riscos!

    Basta verificarmos a qualidade do que consumimos e o que é exportado, o bagulho fica e o que é bom ou é disponibilizado só para quem tem grana ou vai para o mercado externo.

    Somos o pinico do mundo.

  • Helvecio

    Não é possível que com tantas informações negativas, pessoas ainda que com conhecimento e cultura , forneça esse tipo de alimento aos seus filhos.

  • Juliano Soares

    Interessante todas as discussões… Esdras… existe estudos cientificos comprovando “a tese” de seu artigo/noticia/informação… Bom sei que até este estudos as vezes são manipulados… mas prefiro continuar acreditando em estudos cientificos… e ainda… procuro sempre verificar outros estudos cientificos sobre o mesmo objeto e analisar… pois os interesses ecomonicos neste país capitalista… sobre põe sobre a vida do ser humano… seja para seu bem ou para o mal… não há mais carater e honestidade… até comer tá dificil neste país…

  • Paulo Ricardo

    O mais grave está escondido, Tem uma zona da região do Viatinam que o rio é extremamente poluído com radioatividade…e eles criam os peixes mas não consomem só exportam para todo o mundo….isso foi alertado o ano passado as autoridades brasileiras, mas como a ganância fala mais alto…o própio governo liberou (Ministério da agricultura da Dilma)…O Supermercado Nacional um dos maiores importadores e se beneficia com…como tal situação e outros maiores…como o Carrefur ….e.outros mais…o negócio é gigantesco…..!!!

  • Morei muito anos em Barcelona e Marcelle e este peixe É SIM PROIBIDO por lá… Mas lá as autoridade são confiáveis e atuam em prol da população, diferente da Terra brasilis onde manda é o dinheiro: quanto custa para liberar isso? Paga tanto que tá liberado….É assim que aqui funciona.

Leave a Reply

 

 

 

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados