Categorias

Pezão e a estratégia do “homem humilde”


A máquina do ex-governador Sérgio Cabral e PMDB soube, com uma exatidão rara, montar a candidatura de seu sucessor, Luiz Fernando Pezão. Já os candidatos de oposição, sem os mesmos recursos e criatividade, investiram em estratégias equivocadas, em alguns casos sequer houve uma estratégia, como podemos comprovar nas redes sociais, debates e propagandas eleitorais. Este ciclo midiático se completa, e a harmonia entre os três é primordial. Não adianta investir só na TV ou na internet.

Exemplos clássicos de estratégias equivocadas são do ex-governador Garotinho (PR) e do senador Lindberg (PT). O campista sofreu por sua historia pregressa. De tanto brigar, em toda sua carreira política, Garotinho se viu sem aliados, portanto, sem tempo de TV. Além disso, o foco deveria ter sido, antes de mais nada, a sua humanização, depois realizações, não o discurso de fazer “para quem mais precisa”, usado também por Lindberg, que afastou a classe média e não agradou aos mais humildes. O petista, além de errar no approach, investiu muitas fichas nas redes sociais, achando que a mesma aglutinaria os jovens, mas se esqueceu de que este setor é bem dividido, e predominantemente dominado pelo PSOL. Lindberg soou repetitivo.

Já os marqueteiros do PMDB acertaram em cheio. Com um produto fraquíssimo em mãos, souberam transformar as limitações em qualidades. O fato de Pezão não ter nenhum cacoete ou jogo de cintura para aparecer na televisão ou até mesmo falar em público, foi bem aproveitado. A postura de “homem simples, de família humilde”, foi explorada. As pessoas se identificaram com Pezão, que mesmo sofrendo ataques violentos nos debates, não passava recibo. Ele manteve a calma e vaselinou em todas as indagações críticas. Quem pegou muito “pesado” com o governador, ainda obteve rejeição. O peemedebista quando apanha, recebe a simpatia e compaixão do povo, pois é o Pezão das propagandas que as pessoas conhecem. Quem não viu aquele “homem humilde, filho de operário, com uma mãe de 83 anos que nunca precisou de empregada, e sempre o ensinou que humildade é tudo na vida”. O povo não gosta de ver uma pessoa simples sendo atacado em rede nacional. A verdade é que Pezão foi um ótimo jogador. Ele é como aquele volante grosso que não inventa, desarma e passa a bola, pois conhece suas limitações. Diferente de uns jogadores em final de carreira, que não tem nem mais as pernas nem o talento que um dia tiveram.

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

No Rio de Janeiro, 42% dos eleitores não sabem quem é o governador


Sabe a estratégia do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), para a reta final de campanha? Dizer ao eleitor que é ele o governador – 42% não sabem disso, diz uma pesquisa do GPP.

Época

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Denúncia do leitor: Lacerda Sobrinho e a obra eterna…

Enviada por leitor

Enviada por leitor

“Caro Gustavo

Sou leitora da Folha da Manhã e diariamente leio o seu blog.

Parabéns pela postura e pela forma que mostra tudo que vem acontecendo em nossa cidade.

Sou moradora da Rua Lacerda Sobrinho, onde a prefeitura realiza uma obra interminável e, no meu ver totalmente sem organização. Já li no seu blog os comentários e as postagens a esse respeito.

Hoje, mais uma vez está um caos. Não estamos aguentando mais! Além das calçadas totalmente destruídas, dos buracos, da poeira intensa, lama, areia e restos de materiais de obra para todo lado, o que mais me apavora é o desperdício diário de água, nesta época em que nos encontramos nesta situação crítica grave devido a seca do nosso Rio Paraíba.

Gostaria muito que postasse algumas dessas fotos que estou enviando, como forma de comprovar tudo que tem sido denunciado e falado em seu blog a esse respeito.

Peço pelo amor de Deus peço que preserve totalmente a minha identidade e este texto. Tenho medo do que pode ser feito contra mim e de até mesmo os próprios funcionários que trabalham na obra façam alguma maldade com meu carro, com minha casa e com alguns parentes especiais que eu tenho que ficam olhando o movimento das máquinas na rua, afinal, eles são orientados por esses chefes que comandados por essa política suja de nossa cidade.

Muito obrigada.
Certa da sua compreensão e colaboração.”

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Instituto GPP: Pezão abre 6 pontos de Garotinho

Uma pesquisa do instituto GPP mostra que as intenções de votos do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) dispararam. Pela primeira vez, Pezão assumiu a liderança na corrida pelo Palácio Guanabara. No levantamento finalizado hoje, o governador aparece com 28% das intenções de votos. O resultado é quase o dobro dos 15% que ele tinha na pesquisa de agosto. Num movimento oposto, o deputado Anthony Garotinho (PR) perdeu seis pontos porcentuais e caiu para a segunda colocação, com 22% da preferência do eleitorado fluminense. O senador Marcelo Crivella (PRB) se manteve com os 16%. E o também senador Lindberg Farias (PT) caiu de 10% para 7%. A pesquisa mostra que, na capital, Pezão tem vinte pontos porcentuais a mais que Garotinho. No interior, Garotinho supera Pezão por 1,5 ponto. Pezão vence entre homens e mulheres, em todas as faixas etárias e nos eleitores com renda familiar maior do que dois salários mínimos. Garotinho vence entre aqueles com renda familiar menor do que dois salários mínimos. A pesquisa foi encomendada pelo PMDB do Rio de Janeiro e custou 160 mil reais ao partido. Entre quinta-feira (18) e domingo (21), o instituto GPP ouviu 6 mil eleitores em 81 dos 92 municípios do Rio de Janeiro. Trata-se de uma amostragem significativa — o triplo da amostragem do Ibope divulgado hoje. O levantamento do GPP foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral. A margem de erro é de 1,3 ponto porcentual.

Época – Felipe Patury

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Garotinho, Risolia e má digestão


O ex-governador Anthony Garotinho (PR) não muda mesmo. Ontem, durante entrevista ao jornal da Band, o candidato ao governado do Estado voltou a atacar o secretário de Educação Wilson Risolia, a quem se refere como o secretário com nome de salgado. Como de costume, os argumentos do deputado foram os mais toscos e furados possíveis, se é que podemos chamar aquilo de argumento.

Garotinho disse que é um “absurdo a Educação do Estado ser comandada por um economista, uma pessoa que não é da área, não é Educador”.

Mas ex-governador, o senhor não foi secretário de segurança? E qual a formação que você tem na área? Até onde sei o senhor é radialista. E qual o problema com o nome do economista? Vossa excelência deve ter esquecido que a alcunha que usa, para fins eleitorais, não passa de um apelido plagiado. Mas acho que sei por que não gosta do nome de salgado. O senhor tem pressão alta, correto? Por isso prefere nomes e apelidos doces, como o de Pudim, o candidato da família Garotinho. Mas veja bem, maneire nas guloseimas, cuidado com a diabetes. Até porque, a secretária de Rosinha, sua esposa, não tem nome de salgado, é Educadora, e obteve péssimos resultados no Ideb, saindo de último para antepenúltimo. Enquanto isso, o Risolia levou a Educação do estado ao 4° lugar, avançando 11 colocações.

É melhor ir ao mercado atrás de um secretário com o nome de salgado. Pastel, Enroladinho… Ah, lembrei. Tem a Cláudia! Por onde será que anda a ex-secretária de administração? Com um sobrenome desses, Salgado, quem é que liga para especialização.

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Rosinha prefeita? De onde?


Algo de muito bizarro ocorre na planície durante esta campanha eleitoral, como mostrou o blog da Luciana Portinho, aqui. Se a prefeita Rosinha Garotinho já era figura ausente sem “compromissos externos”, preferindo os microfones de estúdios de gravação musical e inaugurações de obras inacabadas ao despache executivo para qual foi eleita, com a disputa pelo governo do Estado em andamento ela é figura ainda mais rara na cidade. É mais fácil encontrarmos uma ninhada de pandas na beira do rio Paraíba. E o mais absurdo disso tudo, é que o Ministério Público sequer se manifesta. Se o vice-prefeito, Dr. Chicão estivesse no comando da Prefeitura, tudo bem. Aí sim Rosinha poderia desfilar por todo Estado pedindo votos para o seu marido. Mas ela não se ausentou, mesmo estando ausente.

Mas e daí? Nada deve mudar drasticamente. Afinal, Rosinha nunca foi tão presente mesmo…

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

A “maldita” Santa Casa “sem” misericórdia de Campos


O que vem acontecendo com a Santa Casa de Misericórdia de Campos é uma covardia. E o pior é que os absurdos não são de hoje. O hospital vem negando aos seus médicos, funcionários e, principalmente, pacientes, materiais e condições básicas de atendimento. Para deixar a situação ainda mais esdrúxula, o provedor Benedito Marques demitiu o staff do hospital após os profissionais reivindicarem melhorias no CTI (Centro de Terapia Intensiva). O administrador ainda segue evitando responsabilidades trabalhistas, ao contratar firmas que prestam serviço, invés de funcionários, terceirizando o “problema”. Portanto, quando bem entende, rescinde o contrato com os médicos que questionam as supostas irregularidades em sua administração. Segundo o Sindicato dos Médicos de Campos (SIMEC), a prática é “absurda e irregular”.

Ao que parece, a Prefeitura, através da secretaria de Saúde, vem cumprindo com suas obrigações, e estaria de “mãos atadas”. O repasse vem sendo feito normalmente, mas a Santa Casa continua com dívidas com fornecedores de materiais e equipamentos hospitalares. Tem empresa que não recebe há mais de dois anos. Para esquentar ainda mais o clima, o vereador governista Abdu Neme (PR) fez denúncias graves da tribuna da Câmara, como mostrou o blog do Bastos, aqui. “O paciente quer ser atendido pelo médico do SUS e não consegue, mas se pagar a consulta o médico atende. Essa relação tem que mudar. Quem quiser pagar que vá ao consultório do médico. Mas se o hospital é filantrópico, o CNPJ é filantrópico, ele tem que priorizar as consultas pelo SUS. Pode até ter consulta social, mas tem que ser da seguinte forma. Se atender 10 pelo social, tem que atender 20 pelo SUS”, disse Abdu, que também avisou: “Nós não vamos permitir que funcionários da secretaria de Saúde fiquem passando a mão na cabeça dessa gente. Eu estou aqui avisando, mas depois eu vou dar nome aos bois. Não pode acontecer isso: facilidade para atender social e dificuldade para atender SUS. Eu nunca atendi social nem particular na Santa Casa. Ali é um lugar para pessoas humildes que estão sofrendo e precisam de um atendimento. Se alguém for cobrado para operar, para ter neném, denuncie. É só ligar para a Câmara e denunciar”, completou.

A Prefeitura, o Conselho e o Sindicato deveriam abandonar a passividade, mostrando um pouquinho mais de “misericórdia”, de mãos atadas ou não. Essa bola de neve chamada Santa Casa, enquanto pilotada pelo senhor “Maledeto”, deve continuar nesta sua jornada da desgraça, atropelando a população humilde e carente de Campos, que tanto precisa dela.

Misericórdia, meus senhores, misericórdia!

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Pedido de socorro, de novo!

“Bom dia, Gustavo!
Estou aqui de volta solicitando socorro em relação à “Bendita Obra Interminável”
Gostaria em primeiro lugar esclarecer que em consequência da minha última postagem em seu Blog esta obra teve um grande progresso, mas meu filho a operação tartaruga recomeçou desde semana passada.
Ressalto, mais uma vez antes de tudo, que esta é uma postagem puramente de problemas que estamos passando e de nenhum cunho político, o que muitos quando são atingidos se defendem desta maneira.

Os moradores do trecho da rua Dr. Lacerda Sobrinho (Vinte e Oito de Março a Cardoso de Melo) estão enfrentando esta obra desde início de julho. O trecho é muito pequeno para levar mais de dois meses e não termos o fim da obra. Talvez eu seja meio alienado porque não é meu ramo de trabalho as “Obras”, mas nós não somos cegos!@!
Será que o supervisor da firma TERWAL está acompanhando esta obra de “carretel”?
Não dá para entender o processo de “Abre e Fecha” sem fim. Fazem o serviço, colocam todos os tubos, canos, manilhas etc. fecham batem a terra. Dias depois abrimos a janela e estamos “Ilhados” de areia em nosso portão impedindo a nossa saída de carro.
Gente se estou analisando errado, por favor, me expliquem! Se o processo de trabalho é este, Me informem! Porque qualquer pessoa no seu juízo perfeito entende-se que isto é inadmissível.
Ressalto que nas adjacências destas ruas temos a Faculdade Estácio de Sá, o Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Convento) onde o contingente de pessoas e carros que circulam nos horários de missa e de aulas é de um número extensamente grande.

Nós, moradores, aguardamos uma posição das autoridades competentes.
Agradeço a atenção e solicito que minha identidade não seja divulgada.”

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Dilma dançarina: os passinhos da presidente em campanha

Dilma Rousseff arrisca break com jovens da Cufa Foto: Ichiro Guerra / Fotos públicas


A presidente Dilma Rousseff (PT) não tem se intimidado pela falta de malemolência. Passinhos de funk e de break já entraram para a lista de ritmos ensaiados pela candidata à reeleição.

Nesta segunda-feira (15), Dilma arriscou passinho de break com jovens de Madureira. Já no sábado (13), ao som de “Vai Dilma, vai Dilma”, movimentou as pernas para frente e para trás com um grupo de adolescente, em Belo Horizonte.

Qual será a próxima dança da presidente?

Coluna Extra, Extra – Berenice Seara

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Paulo Hirano: E o Ideb, ó!

E o Ideb, ó:


Enquanto o Estado do Rio salta da 15ª para 4ª posição no Ideb, Campos sai da última para a antepenúltima. Mesmo assim, de acordo com o blog do Bastos, aqui, o líder do governo na Câmara, Paulo Hirano (PR), disse que “não é com varinha mágica que as situações mudam”. O vereador ainda fez questão de transferir responsabilidade. “É bom ressaltar que os resultados também dependem dos alunos, dos professores e das famílias. Estamos caminhando para alcançar nossos objetivos”. Esse Hirano é um brincalhão mesmo! Após 6 anos do governo mais rico da história do município, ele ainda quer dizer que estão “caminhando”. E o professor, que não é valorizado e ainda é chamado de idiota pela secretária de Educação, ainda tem que ouvir que a culpa é dele.

A verdade é que a culpa nunca é do governo…

O blog do Zé Paes, aqui, também falou sobre o assunto.

  • Add to favorites
  • del.icio.us
  • Digg
  • email
  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • LinkedIn
  • Live
  • Orkut
  • PDF
  • Print
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter
Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados