Arquivos

85 anos

Um dos mais tradicionais produtos brasileiros completou hoje 85 anos. Para marcar a data, o Leite de Rosas lançou uma campanha contando a história do fundador da empresa, que desenvolveu com sua mulher o produto que alcançou sucesso em todo o país. A campanha é da agência 11:21, que criou um anúncio de uma página, toda rosa, para ser veiculado em jornais.

Em 1929, o seringalista Francisco Olympio, nascido no Ceará, mudou-se do Amazonas para o Rio. Ali ele desenvolveu, com a ajuda de um amigo farmacêutico, a fórmula do produto de beleza, um leite à base de rosas. Francisco produzia o Leite de Rosas em casa, com a ajuda da esposa, Maria de Lourdes.

Eles começaram a divulgar o produto artesanal, com rótulos feitos à mão, na vizinhança, com ampla aceitação. Francisco passou a imprimir os rótulos e distribuir pelas ruas, nas farmácias e de porta em porta. Com grande veia publicitária, ele foi precursor no uso de mulheres de biquíni em anúncios, contratando depois Carmem Miranda como garota-propaganda.

Foi construída uma fábrica para aumentar a produção e novos produtos foram lançados, como desodorante e loção pós-barba. Com o falecimento de Francisco, o seu genro Henrique Ribas assumiu o comando da empresa. Grande empreendedor, Henrique ampliou ainda mais a penetração e o sucesso em todo o país do Leite de Rosas.

Na passagem de bastão da segunda para a terceira geração, fase crítica em empresas familiares, brigas levaram a família a sair do comando e contratar uma gestão profissional no início dos anos 2000. Após perder faturamento e lucratividade, em crise, a família retomou o controle da empresa em 2011, através de Mauro Ribas, neto do fundador, voltando a crescer.

Fontes: Exame e Portal da Propaganda

Novo espaço para festas

Foto: José Leonardo Moreira

O imóvel onde até recentemente funcionou um boliche, na Avenida 28 de Março, próximo ao final da Avenida Pelinca e início da Rua Formosa, foi transformado em um espaço para festas. O imóvel pertence a Ana, proprietária da Giana Festas, tradicional casa de artigos para festas e eventos da cidade.

O nome do espaço, que possui aproximadamente 700 m² e terá como foco festas de casamento e de 15 anos, será Sognare, que significa sonhar em italiano. A mãe de Ana era italiana. Seus filhos, Gina e Guilherme, tocarão o novo negócio, cuja previsão de abertura é para agosto. O terreno ao lado também pertence à família e está sendo preparado para ser o estacionamento da casa.

Fechamento de varandas proibido

Há alguns anos o fechamento de varandas de apartamentos, feito através de vidros, virou moda na classe média campista. A medida traz alguns prós e contras. A favor, o espaço ganho, principalmente para os apartamentos cada vez mais apertados de hoje em dia, permitindo a criação de outros ambientes, além da maior proteção ao mobiliário e ao acabamento em relação ao tempo.

Contra, a perda de luminosidade e de ventilação do apartamento, tirando a sua única área exposta constantemente ao ar livre. O maior problema, porém, é a perda de identidade visual do prédio, transformando a sua fachada em um quebra-cabeça, tendo unidades com varanda fechada e outras não, salteadas sem o menor critério estético.

Em Campos, o poder público não exerce qualquer controle sobre a questão. É uma decisão unilateral do proprietário, desde que o condomínio permita. Contudo, no Rio o prefeito Eduardo Paes vetou nesta semana a lei que permitia o fechamento de varandas (confira aqui).

Entre os motivos alegados pelo prefeito está a questão urbanística. Caso a lei fosse sancionada, poderia gerar um adensamento indesejável, bem como comprometer a paisagem urbana do Rio.

“O fechamento das varandas, além de trazer prejuízo às condições de iluminação e ventilação dos compartimentos, poderá gerar adensamento construtivo e trazer prejuízos à paisagem urbana, considerada o bem mais valioso da cidade no Plano Diretor”, afirma o prefeito na justificativa do veto.

Fonte: O Globo

Lindt abre primeira loja no Brasil

A Lindt, conhecida empresa suíça de chocolates, abriu hoje a sua primeira loja no Brasil, conforme foi anunciado aqui em março, em São Paulo. O local escolhido foi o shopping Pátio Higienópolis.

Na primeira quinzena de agosto será aberta a sua segunda loja no país, no Morumbi Shopping, também na capital paulista. A Lindt planeja abrir mais dois pontos de venda no Brasil ainda neste ano.

A vinda da empresa para cá é fruto de uma parceria com o Grupo CRM, dono das marcas Kopenhagen e Chocolate Brasil Cacau. Inicialmente a marca de chocolates abrirá no país, quinto maior mercado de chocolate do mundo, apenas lojas próprias, porém, o acordo entre os acionistas possibilita a criação de franquias. O preço dos produtos serão mais baixos do que os da Kopenhagen.

Fontes: Época Negócios e Meio&Mensagem

Caso NEP: reunião agora é no Rio

Compradores de unidades nos hotéis Sleep Inn e Quality, do empreendimento Supreme em Campos, da NEP, foram convidados pela empresa para uma reunião no Rio de Janeiro, no dia 06 de agosto, no auditório da Patrimóvel, umas das maiores imobiliárias do Rio, que comercializou o empreendimento.

A reunião tem por objetivo buscar soluções para o problema da obra, que se encontra atrasada e parada, sem qualquer perspectiva de conclusão, apesar do regular pagamento dos compradores, muitos deles já na justiça contra a empresa.

Recentemente os compradores se reuniram em Campos em busca de soluções para o problema (relembre aqui), quando foi formada uma comissão para tomar as medidas judiciais e administrativas cabíveis para garantir a conclusão da obra ou a recuperação do dinheiro investido.

Os hotéis, localizados na Avenida do Contorno, tiveram sua venda iniciada em Campos em setembro de 2011. Sua comercialização foi um sucesso (relembre aqui), atraindo vários e fortes investidores locais. Boa parte também foi comercializada no Rio para investidores cariocas e de outras praças.

Os empreendimentos Supreme, com hotéis de bandeiras internacionais, foram desenvolvidos em vários municípios do estado do Rio, como Campos, Duque de Caxias, Resende, Itaguaí e Itaboraí. Todas as obras encontram-se com problemas. Algumas nem foram iniciadas. A venda era feita com uma imobiliária local e outras do Rio, de alcance nacional, como a Lopes e a Patrimóvel.

O prazo contratual de entrega é de setembro de 2014 e não será cumprido, nem usando os 180 dias de carência. Como a jornalista Suzy Monteiro mencionou aqui no ano passado, no blog Na Curva do Rio, o diretor-presidente da NEP é Fernando Trabach Filho, filho do dono da GAP, que está em litígio com a Prefeitura de Campos, para quem prestava terceirização de serviços.

No Reclame Aqui há inúmeras queixas contra a NEP. Até este momento são 36 reclamações, nenhuma respondida (confira aqui). Há também queixas contra as imobiliárias, que são solidárias no problema. Confira aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui algumas destas reclamações.

Femac voltando com tudo

Esta é a nova logomarca da Femac Móveis, principal loja do ramo na cidade que passou por um terrível incêndio em outubro do ano passado (relembre aqui e aqui) e desde então vem trabalhando arduamente em sua reconstrução. A logo foi criada pelo designer José Ronaldo.

A nova Femac terá 3.000 m², distribuídos em dois pisos. O primeiro nível terá 1.500 m² de showroom, enquanto o subsolo terá mais 500 m² de showroom e 1.000 m² de depósito. Será necessário ainda a locação de um depósito adicional.

A obra segue a todo vapor e sua previsão de inauguração é para outubro, um ano depois do incêndio. A família Chagas, proprietária da loja, se impressionou durante todo este tempo com o carinho da comunidade e a ajuda de parceiros, desde o ocorrido até hoje durante a obra.

Na nova loja haverá setorização por marcas e tudo está sendo pensado nos mínimos detalhes com o objetivo de atender os clientes de maneira eficaz e de acordo com as práticas modernas de administração e venda.

Rio Brokers

Um grupo de investidores locais montou a imobiliária Rio Brokers. O seu primeiro empreendimento será na Rua Salvador Correa, em frente ao Censa, onde ela desenvolverá um edifício residencial em uma área de aproximadamente 850 m², em dois terrenos que eram ocupados por casas, adquiridos por um outro pool de investidores da cidade. O projeto terá a assinatura do arquiteto Luís Vieira.

Lei da Prefeitura abre caminho para protesto dos seus contribuintes em cartório

No dia 10 de junho, sem grande alarde, a prefeita Rosinha assinou a Lei nº 8.566, que autoriza o município a enviar para protesto em cartório os tributos que não tenham sido pagos pelos contribuintes, sejam de dívida ativa tributária ou não-tributária, ajuizada ou não, cujo valor seja superior a 16 Uficas (Unidade Fiscal de Campos).

O valor da Ufica no ano de 2014 é de R$ 90,17 (D.O. 26/12/2013 – Decreto 441/2013), com 16 Uficas valendo R$ 1.442,72. A nova lei municipal assinada por Rosinha se baseou na Lei Federal nº 12.767/12, que modificou o parágrafo único do artigo 1º da Lei nº 9492/97, que passou a ter a seguinte redação:

“Parágrafo único.  Incluem-se entre os títulos sujeitos a protesto as certidões de dívoda ativa da União,  dos Estados, dos Distrito Federal, dos Municípios e das respectivas autarquias e fundações públicas.”

No sentido prático, todo contribuinte que tiver dívida tributária com o município, seja de IPTU ou ISS, estará, pela nova lei, sujeito a protesto em cartório. Conhecendo a ineficiência da Secretaria de Finanças, em especial na cobrança de IPTU, caótica desde sempre, o cidadão de bem estará sujeito a ter o seu nome sujo indevidamente.

Contribuintes poderão ser obrigados a pagar dívidas que não possuem e não reconhecem, acrescidas das altas custas do protesto em cartório, seja pelo simples fato de não poderem ter protestos contra si ou pela dificuldade jurídica e burocrática para questionar o débito. Será uma festa para os cartórios.

A modificação tem sido criticada pela comunidade jurídica, uma vez que consiste em meio de coação para o pagamento de tributos, o que é incabível diante dos instrumentos jurídicos colocados à disposição da Administração Pública. Já há julgados pelo país deixando de aplicar esta regra, tendo em vista a sua desnecessidade para a satisfação do crédito tributário.

Má gestão

Foto: Agência Brasil - Petrobras

O atraso no pagamento dos royalties por parte do governo federal foi o principal tema da reunião de ontem da Ompetro, capitaneada pela prefeita Rosinha, como foi destacado aqui na Folha Online. Os pagamentos começaram a atrasar no início do ano, com delongas que foram aumentando mês a mês.

Os municípios produtores da região têm, em sua grande maioria, como principal fonte de receitas a arrecadação dos royalties, exceção feita a Macaé. Estes atrasos comprometem a sua receita e o seu orçamento, com ainda o risco de receberem em 2014 somente 11 repasses, ao invés dos 12 previstos.

O motivo do atraso do governo federal no repasse dos royalties é um só: falta de dinheiro.

Hotel Transamérica aporta em Campos

Mais um hotel aporta em Campos. A bola da vez é a rede Transamérica, que administrará o hotel que será construído na área onde funcionou o Shopping 16, galeria comercial no final da Avenida Pelinca que se notabilizou por abrigar durante anos alguns dos melhores restaurantes da cidade, como Cabernet, hoje em novo local, e La Coruña, que não mais existe.

A venda do Shopping 16 para a InterRio foi anunciada aqui em primeira mão, em março do ano passado. No início a InterRio planejou fazer ali um residencial com serviços. Porém, ao longo dos estudos e planejamento para o melhor aproveitamento do empreendimento, surgiu a possibilidade de abrigar um hotel, como foi anunciado aqui em dezembro.

Agora foi batido o martelo. A demolição do Shopping 16, que gera nostalgia em quem viveu ali bons momentos, encontra-se em estágio avançado, como pode ser visto na foto abaixo, e deve ser finalizada amanhã. O lançamento está previsto para a segunda quinzena de agosto. A venda da área foi feita por Cardoso, da Elo Imobiliária.

Hotéis Transamérica é uma rede de brasileira com sede em São Paulo, contando com 21 hotéis espalhados pelo país. Ela é controlada pelo Grupo Alfa, de Aloysio de Andrade Faria, um dos homens mais ricos do Brasil, dono de empresas como Banco Alfa, C&C Casa e Construção, rede de sorveterias La Basque, Agropalma e a rede de rádios Transamérica.

Copyright © 2010 - Folha da Manhã - Todos os direitos reservados