Folha Digital Folha Digital
    Publicidade

Publicidade

Institucional

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade
    PublicidadePublicidade
Política

Menos secretários por todo o Brasil

Não sãs apenas as prefeituras do Norte e Noroeste Fluminense que estão cortando secretarias para enfrentar o período de crise. Segundo levantamento do jornal O Globo, publicado nesta quarta-feira, o cenário é o mesmo na maioria das capitais do país. Nas 14 prefeituras que responderam ao questionamento do jornal, foram cortadas 104 secretarias e órgãos com este status. Somente em Boa Vista e Salvador haverá criação de quatro novas pastas no total. Em todas as cidades há também promessas de enxugar os gastos com corte de cargos comissionados, mas poucos se comprometem com metas objetivas.

O maior corte foi feito em Porto Alegre. Ao todo, havia 37 secretarias e órgãos que tinham este status. Restaram apenas 15 na gestão de Nelson Marchezan Jr. (PSDB). No Rio de Janeiro, o número de secretarias foi cortado pela metade. Enquanto Eduardo Paes (PMDB) administrava a cidade com 24 secretários, Marcelo Crivella (PRB) tem apenas 12.

A pressão de administrar um município em crise financeira também levou os prefeitos no Norte Fluminense — Gilson Siqueira (Cardoso Moreira), Dr. Aluízio (Macaé) e Cláudio Linhares (Conceição de Macabu) —, além da prefeita Margareth do Joelson (Italva), no Noroeste, ao corte, com redução de secretarias, extinção ou fusão — como a Folha mostrou nessa terça.

Em Cardoso Moreira, Gilson iniciou o governo com 11 secretarias, no lugar das 15, no governo do ex-prefeito Gegê Cantarino. Em Italva, Margareth optou pela fusão de secretarias, passando das 14 do governo anterior para 12. Uma medida foi unir a Defesa Civil com a secretaria de Meio Ambiente.

O prefeito de Macaé, Dr. Aluízio já conseguiu reduzir de 32 para 16 secretarias, nos últimos quatro anos. Ele foi reeleito. O prefeito Claudio Linhares, de Conceição de Macabu, deve anunciar no decorrer da semana mudança no seu estafe. A intenção é diminuir duas secretarias, de 14 para 12.

— A situação hoje é de cautela. Existem economias que a prefeitura tem feito para dar continuidade ao equilíbrio financeiro do município, tais como: cortes temporários em setores não prioritários; corte de números de secretarias; redução no horário de funcionamento da prefeitura, evitando gastos com energia —, disse Linhares.

(A.N.) (D.P.P.)

11/01/2017 21:22
1 comentário para Menos secretários por todo o Brasil
josiel
12/01/2017 - 16h51

o prefeito tem que nomea muitos menbros da universal

Deixe seu comentário

Quantidade máxima de 350 caracteres